Estudante da USP de São Carlos conquista medalha de prata na Olímpiada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas

A aluna Amira Gayatri El Assad Hempel, do curso de Ciências da Computação, recebe premiação juntamente com outros estudantes de todo o País

Separados por milhares de quilômetros e com realidades diversas, mais de 6.500 estudantes de escolas públicas de todo o País foram premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP 2016), organizada pelo IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada) e que este ano contou com mais de 17 milhões de participantes.

A aluna de Ciências da Computação da USP (Universidade de São Paulo), de São Carlos, Amira Gayatri El Assad Hempel, foi uma das premiadas com a prata. Amira, que tem 18 anos, é do Rio de Janeiro e participa da OBMEP em todos os anos escolares, desde o 6ª ano. A estudante já ganhou duas medalhas de ouro, duas de prata, uma de bronze e uma menção honrosa. 

Filha única, Amira morava com a mãe e os avós. Sua mãe era guia turística e trabalhava de forma autônoma. Quando a filha foi aceita na USP em São Carlos, ela largou o trabalho para morar junto com a jovem, já que não ia conseguir se manter no Rio e, ao mesmo tempo, sustentar a filha em outra cidade. Enquanto a mãe não encontra um emprego, elas se sustentam com algumas reservas e com a bolsa do Instituto TIM. 

“Eu fiquei muito feliz quando soube da bolsa, foi uma garantia de que ia ter condições de me manter aqui”, conta Amira. Além das despesas com os estudos, a bolsa a ajuda a pagar as sessões de osteopatia e pilates, que a auxiliam no tratamento da escoliose, problema sério na coluna que a afeta desde o início da adolescência. 

Em sua 12ª edição, a OBMEP, que é destinada a alunos a partir do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio, reuniu  concorrentes de quase todos os municípios brasileiros. Além dos 501 medalhistas de ouro, 1.500 conquistaram prata; 4.500 bronze; e 42.482 foram agraciados com menções honrosas.

Sobre a OBMEP

A OBMEP é realizada pelo IMPA e promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

A olimpíada integra o calendário de atividades do Biênio da Matemática do Brasil 2017-2018, que tem patrocínio do BNDES e apoio dos ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e da Educação. Criada em 2005 pelo IMPA, a OBMEP tem como metas estimular o estudo da Matemática e revelar talentos, promovendo a inclusão social pela difusão do conhecimento.

O impacto efetivo da OBMEP nos resultados de Matemática no país tem sido medido por estudos independentes. De acordo com trabalho do ex-presidente do INEP Chico Soares, escolas que participam ativamente da competição apresentam melhora no desempenho dos alunos de 26 pontos na Prova Brasil, o equivalente a 1,5 ano de escolaridade extra.

Todo ano, 50 medalhistas da Olímpiada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) recebem bolsas no valor de R$ 1,2 mil mensais oferecidas pelo Instituto TIM. O incentivo é direcionado aos estudantes que receberam medalhas de ouro, prata ou bronze em edições anteriores da OBMEP e ingressam no Ensino Superior. Para se candidatar, é preciso estar matriculado em uma universidade pública em um dos seguintes cursos: Astronomia, Biologia, Computação, Economia, Engenharia, Estatística, Física, Matemática, Medicina ou Química.

Os bolsistas são selecionados por uma comissão formada por representantes do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e recebem a bolsa de estudo durante 12 meses, renováveis por até 48 meses.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Deixe uma resposta

© 2019 Diário São Carlos. Todos os direitos reservados.