UFSCar lança exposição fotográfica online “Rostos Etíopes”

Ufscar

O Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em parceria com a Embaixada da Etiópia e o Instituto Francês no Brasil, exibe hoje, dia 13 de janeiro, às 20 horas, em plataforma virtual, o filme “Lamb” (“Cordeiro”, em tradução livre), do diretor etíope Yared Zeleke. O evento irá inaugurar a exposição fotográfica online “Rostos Etíopes: Uma leitura da Etiópia, o teto da África”, organizada pela UFSCar e disponível em rostosetiopes.weebly.com (Português) e ethiopianfaces.weebly.com (Inglês).
O longa-metragem foi o primeiro filme etíope a ser incluído na Seleção Oficial do Festival de Cinema de Cannes em 2015 e conta a história de Efraim, um menino etíope cujo pai foge dos efeitos da seca e vai procurar trabalho na cidade. Ele leva o filho para morar com primos distantes em uma área não afetada pela seca. Efraim tem dificuldade de se ajustar à nova vida, mas tem uma companhia constante – uma ovelha de estimação que o segue aonde quer que vá. Quando seu tio diz que sua ovelha será abatida para a próxima festa religiosa, Efraim resolve fazer o que for preciso para salvar seu único amigo e voltar para casa.
A exibição ocorre pela plataforma Zoom, no link https://bit.ly/3q6TQ1s (ID da reunião: 846 8588 4039; senha de acesso: 975727) e contará com a participação de representantes da Embaixada da Etiópia no Brasil. O evento é gratuito e limitado a 150 pessoas, por ordem de entrada. A sala virtual abrirá às 19h50 e fechará às 20 horas.
A exibição do filme “Lamb” faz parte da atividade de extensão “Rostos Etíopes: Uma leitura da Etiópia, o teto da África”, proposta pelo vice-coordenador do curso de Turismo da UFSCar, Cesar Alves Ferragi, professor do Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades (DGTH-So). “Originalmente prevista para ocorrer presencialmente, por conta da pandemia do Covid-19 tivemos que postergar a inauguração da exposição física, que ocorrerá em momento oportuno no saguão da Biblioteca do Campus Sorocaba da UFSCar”, afirma Ferragi. Por enquanto, os interessados podem acessar as fotos e conhecer curiosidades do país africano nos sites rostosetiopes.weebly.com (em Português) e ethiopianfaces.weebly.com (em Inglês).
A iniciativa tem o apoio da Pró-Reitoria de Extensão (ProEx) da Universidade e conta com a participação dos discentes do curso de Turismo Alexia Canavezzi de Camargo e Gabriel Oliveira Cherle Pini, e de Raul Wallace Amorim Carvalho, estudante do curso de Biologia, todos do Campus Sorocaba da UFSCar.

Sobre a exposição fotográfica
O foco da exposição está nas pessoas e cotidianos observados na Etiópia, com uma combinação de imagens de um brasileiro e uma etíope. Por um lado, há fotos feitas durante a incursão do professor Cesar Ferragi em diversos territórios etíopes em 2015. Por outro, imagens capturadas pela fotógrafa Terhas Berhe no cotidiano de mulheres que trabalham com barro.
A exposição integra um projeto maior de Ferragi que, ao longo dos anos, trata de observar a fotografia como uma ferramenta de transformação do mundo: uma maneira de lançar olhares a mundos pouco observados na realidade brasileira. “Buscamos, assim, estabelecer diálogos entre Brasil e África, com bases epistemológicas do sul, conectando América do Sul a um país do chifre africano”, descreve Ferragi. Mais informações podem ser obtidas diretamente pelo pelo e-mail ferragi@ufscar.br.

Música etíope
Além do filme e da exposição fotográfica online, o projeto de extensão abriu espaço para explorações musicais etíopes. “Voltando o olhar para a musicalidade etíope encontramos um vasto repertório e particularidades de cada região com diversidade e características únicas”, afirma Alexia de Camargo, um das alunas envolvidas na atividade. “Quando estive em Addis Abeba, capital da Etiópia, me surpreendi com a qualidade musical”, complementa Ferragi. Assim, o grupo montou uma playlist chamada “EthioJazz”, disponível nas plataformas Deezer (https://bit.ly/39pbMxF) e Spotify (c).
Foto: Zare Ferragi/UFSCar

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Deixe uma resposta

© 2019 Diário São Carlos. Todos os direitos reservados.